quinta-feira, 1 de maio de 2008

Arquitetos do Futuro


Essa semana passei pelo pátio da reitoria, aqui em Curitiba e verifiquei a existência de um fórum sobre o poder da mídia na população brasileira (Fórum Social do Mercosul).
Difícil não lembrar que há poucos meses, mesmo sabendo do monopólio de poucas famílias que se apoderaram das minguadas concessões para funcionarem como redes de televisão, ninguém, ou melhor, poucos intelectuais brasileiros tiveram coragem de enfrentá-los. Esses poucos tentaram mudar o sistema de transmissão televisivo digital. Esse pequeno grupo queria que o sistema europeu fosse adotado em nosso país tupiniquim, pois só assim o povo brasileiro poderia conhecer o verdadeiro poder da democracia televisiva.
O sistema digital europeu permitiria muitos canais digitais, uma quantidade muito maior do que existe atualmente, pois na mesma faixa de transmissão, poderiam caber dúzias de canais e não três ou quatro a mais como o sistema já adotado.
O problema, é que o monopólio existente já vinha arquitetando há muito tempo a inclusão de sistema digital japonês, alegando superior qualidade de imagem HDTV, mas que naturalmente não permitirá quantidade muito grande de canais, levando o povo brasileiro a velha posição de verdadeiros subalternos zumbis da estratosfera, que aliás, parecem gostar de sê-lo.
Naturalmente que o governo também preferiu o sistema japonês, pois assim não precisariam “vigiar” dúzias de canais, continuando com os poucos existentes. O pior é ver “o povão”, satisfeito com o novo sistema, gastando horrores com televisões de plasma ou LCDs da vida de 30, 40 ou 50 polegadas...felizes pois já sonham com o novo sistema.
A globo, já há dois ou três anos adotava em seu equipamento tal sistema, antes mesmo do governo a aprovar, mas a memória do povo brasileiro sempre anda tão falha, ninguém lembra disso. Essa mesma memória falha também não lembra que nosso ministro das comunicações foi repórter da mesma rede, o mesmo ministro que convenceu facilmente o presidente que tem conhecimentos limitados e que naturalmente foi iludido como a maioria, por cores translúcidas bem mascaradas em lindos equipamentos coloridos de que o sistema japonês era a melhor alternativa alegando frases como: “Vocês vão poder assistir TV de graça no celular”, como se isso fosse à coisa mais fantástica do mundo. Não seria mais bonito e democrático se o ministro chegasse aos microfones e dissesse: “Vocês poderão assistir a mil programas ao mesmo tempo todos falando o que quiserem, com mil opções de gostos e opiniões”, mas isso ficou definitivamente no mundo da fantasia. Depois tem gente que ainda pergunta por que tem pessoas que vão embora de nosso país?
Explicando: O governo alegou na época que o sistema japonês era melhor e por isso deveria ser adotado. Um amigo professor da UTFPR pesquisou todos os sistemas e concluiu que tecnicamente eram idênticos, ou pelo menos que nenhum seria melhor do que outro. Então óbviamente eles não adotaram o sistema europeu por não ser interessante para o governo e para as redes já instaladas em nosso país. O sistema europeu daria "muito" trabalho para o governo. Como iriam controlar a programação de tantos canais populares? Quem fiscalizaria, etc, etc. O sistema adotado permitirá menos canais e preferencialmente de quem já tem conceções. Falando nisso, também soube que movimentos populares estão se formando para fazerem uma legislação para as novas concessões que deverão ser solicitadas novamente ainda esse ano. A idéia é que a programação não seja escolhida por uma ou duas pessoas da emissora mas que tenha um concenso mais amplo e de interesse populacional. Ex. Quem decide que os jornais tem que ficar falando apenas sobre o caso da menina que foi atirada da janela quando muitas outras coisas também importantes ocorrem no Brasil e no Mundo? Outro exemplo: porque o evento que ocorria no pátio da Reitoria não foi noticiado? Possivelmente por que vai contra o interesse das majoritárias midiáticas.
Recomendação em DVD: "Noam Chomsky: O Consenso Fabricado"
Para saber mais. 

2 comentários:

Bert disse...

Bom o seu Blog! Já começou enfiando a bota na porta... Embora eu não comungue sua visão sobre o sistema (estudei-os na epoca e acompanhei os pareceres da comissão técnica, formada por engenheiros como eu), eu apoio esse tipo de manifestação. Quando estudei os 4 sistemas, não havia nenhum excepcionalmente melhor do que outro... abração

Glauco disse...

Acho que todos têm essa opinião, com relação a mídia de massa. Principalmente os formados em comunicacao -falo pelos meus professores. Pode parecer ridículo, mas fiz um ensaio há uns 3 anos sobre isso-está no blog.
Um abraço e obrigado pelos textos, serão de grande ajuda.
Glauco.