sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Deus salve a rainha: Séries de Ficção Científica Inglesas


As séries de ficção inglesas sempre me chamaram a atenção desde a década de 1970. A Tomorrow People, conhecida por poucos no Brasil por “Seres do Amanhã” foi uma delas. Hoje, estou tentando legendar todos os episódios que consegui para liberar a quem interessar. Pena que alguns episódios se perderam lá na no país da Rainha. Outra série que eu recordava muito pouco era “O Prisioneiro” que agora pensam em remake. Parece que promete.

Mas a que é um Cult por lá, sem dúvida nenhuma é Doutor Who. Curiosamente, tão reconhecida entre os ingleses como é Star Trek entre os americanos. Essa eu conhecia apenas de fama e confesso sempre fui curioso em conhecê-la. Cheguei a assistir poucos episódios que chegaram sorrateiramente em VHS por aqui. Agora, nos idos da informática e do DVD, foi possível realizar esse intento. Acompanhando o atual Doutor Who, percebi que é continuação dos outros 7 ou 9 que já existiram. Sim, 7 ou 9atores interpretaram esse misterioso Lorde do Tempo que nunca morre, mas que costuma metamorfosear seu corpo. Sempre acompanhado de alguma transeunte que apareceu em seu caminho, para facilitar a identificação do telespectador e fã da série.

Maneira interessante de trocar o elenco e não cansar o público. Talvez essa seja a fórmula que os roteiristas ingleses da BBC encontraram para eternizar uma série que já perdura por aproximadamente 40 anos. O curioso desta série é que não existe nave espacial, pelo menos não como estamos acostumados. O veículo de transporte temporal do velho doutor é uma cabine telefônica inglesa. Como ele controla o tempo e o espaço nada mais natural do que uma cabine aparentemente pequena que comporta uma enorme e poderosa nave espacial! E já esta dando frutos. Um “spin-off” que surgiu dentro dela e que também virou série de sucesso na Europa é Torchoowd, que significa um anagrama da palavra Doutor Who. Um grupo de policiais liderados por um imortal (amigo do Lorde Temporal Doutor Who) que investiga estranhos casos do insólito em uma pequena cidade inglesa que esta em cima de uma fenda temporal. O grupo na realidade foi idealizado pela Rainha Vitória que considerava Doutor Who inimigo do estado. Ambas as séries tem um “q” de bizarro, um além da imaginação, mas que não perde o encantamento, ao contrário, enriquece ambas as séries.

A diferença entre ambas talvez esteja nas cenas mais adultas de Torchwood que esta desgarrada de preconceitos, que são mais sutis em Doutor Who.
Mas, pra quem aprecia o típico humor inglês como eu, indico ambas as séries que podem ser aprofundadas nesse blog que agora recomendo. O UniversoWho ou Whoniverso como prefere o webmaster de lá, é o melhor blog em português da série e oferece muitos presentes nostálgicos pra quem se interessar.
http://universowho.wordpress.com/ (material sobre Doctor Who e spin offs)
http://seresdoamanha.wordpress.com/ (material sobre Seres do Amanhã)

3 comentários:

Breno Costa disse...

Carlos, sou eu quem tenho que agradecer a indicação. Infelizmente tenho que concordar que não só Doctor Who, mas ficção científica em geral não é muito apreciada no Brasil como é o resto do mundo, o que é uma pena.

Abraços,

Breno.

cipexbr disse...

Olá Breno.
É uma pena que as pessoas não valorizem mais a FC. Reparto com você esse sentimento. Curioso é que as maiores bilheterias são justamente os filmes de FC. Penso que a "culpa" seja da própria sociedade que criou um preconceito com relação ao assunto relevando-o a juvenil, coisas infantis, etc. Um erro que possivelmente será corrigido no futuro.
Fiz meu mestrado usando a FC, demonstrando como professores vem usando e como podem usa-la em suas disciplinas como apoio pedagógico. Também apresentei vários trabalhos acadêmicos e ainda faço palestras sobre o tema, sempre garimpando novos adeptos e mostrado sua importância a comunidade. Depois fiz meu blog o futurantiqua, fui presidente e fundador da Federação dos Palnetas Unidos, clube de ficção, ciência e tecnologia por quase 15 anos. Desde 2000 faço parte da "Confraria de Escritores de Ficção Científica" que montamos aqui em Curitiba e ainda ajudei a organizar uma lista de discussão virtual de acadêmicos brasileiros que querem trocar idéia sobre o tema. Penso que estou fazendo minha parte.
Você também está fazendo quando teve a brilhante idéia de elaborar o seu blog sobre Doutor Who, Torchwood, etc e assim vamos caminhando.
Certa vez em uma palestra que fiz em Santa Catarina um senhor após ouvi-la afirmou que sentiu que seu filho, engenheiro não estivesse presente pois ele como pai não permitiu a seu filho que curtisse na infancia FC, lendo quadrinhos ou vendo filmes sobre o tema. Pois bem, hoje apesar de ser engenheiro tem muita dificuldade no uso da imaginação. Sabe usar o AutoCad mas tem muita dificuldade em criar novas peças, necessárias em sua profissão, porque sua imaginação é limitada. Não é atoa que Einstein (sempre cito isso) dizia que "a imaginação é mais importante do que o conhecimento".
Carlos

Nayanezgani disse...

Acho que também podia entrar nessa lista a hilária, Red Dwarf.